Arquivo da tag: felicidade

Sabe Quando Você Acorda Inútil?

Há um mês atrás eu acordei me sentindo a pior pessoa do mundo.

Contemplando o teto branco constatei a óbvia e tenebrosa realidade que eu vinha negando todo esse tempo. Eu não havia feito nada de relevante minha vida toda, eu era completamente inútil. Foi como despertar com um soco no estomago e não encontrar ninguém por perto.

Estou as voltas de outro aniversario. farei 28 anos. Parece até ontem que havia feito 18 anos. Dez anos passam voando quando você não está olhando. Quando você fica adiando para amanhã aquela guinada nos seus planos e sonhos. Agora eu estava ali, deitado olhando para aquele teto branco que representava toda uma vida. Um nada inútil. Continuar lendo Sabe Quando Você Acorda Inútil?

O Ladrão De Sonhos

 

filtro8

 

Qual o sentido da vida?

Acho que já ouvi essa pergunta mais vezes do que: “É pra levar ou pra comer?”.

E quando é que a gente descobre se é pra levar ou pra comer? Quando vem aquela fome louca que não da pra esperar até chegarmos em casa. Entra numa rua escondida e come aquele sonho delicioso ali mesmo, na calçada. E você se vê pensando, “qual o sentindo da vida, senão prazer de vivê-la?”.

A vida é cheia de regras básicas e naturais. Precisamos delas para viver nesse contexto universal de casualidades. Mas e se pisarmos um pouco fora da linha, levantar a redoma e respirar o ar do lado de fora do aquário, e se pisarmos na grama onde é proibido só pra sentir cócegas nas plantas do pé, será que romper algumas regras nós torna renegados deste mundo?

Imagino como se fosse um jogo ao avesso. Um sonho que comemos antes da hora certa.

Algumas regras existem somente para serem rompidas e dar origem a outras regras, que também serão quebradas e darão luz a novas regrinhas que, nem sabendo ficar de pé ainda, já imaginamos como iremos quebra-las. Por que afinal de contas, só é feliz aquele que passa o dedo no bolo antes do “parabéns pra você”. Mata um dia de trabalho só pra poder caminhar na praia bem cedo. Faz uma tatuagem escondida dos pais. Namora a pessoa mais errada do mundo. Prefere viver mais e preocupar-se menos.

E até pode parecer que estou pregando uma sociedade anárquica, mas o que eu só quero é poder mudar essas regras idiotas, que dizem ser o pilar da nossa sociedade, e colocar outras mais divertidas e honestas. Regras que nós de tempo a mais para viver e menos para sofrer.

Já pensou se todos os políticos que criam nossas leis fossem menos corruptos? Trabalharíamos o justo para viver o justo. Mas claro, somente quem dita as regras podem quebra-las sem sofre sansões por isso, e isso a gente aprende desde pequeno.

Por isso eu vou comer meu sonho antes da hora certa e escondido, para que ninguém o roube de mim o meu direito de ser feliz.

Tudo Pelo Seu Sorriso

feliz

Se existe um idiota nesse mundo capaz de loucuras para ver um sorriso na cara de alguém, esse maluco sou eu.

Posso não lhe conhecer, nunca tê-lo visto na vida, mesmo assim, vou tentar fazê-lo sorrir uma única vez se for possível. Pode parecer um cara qualquer com uma cantada barata, alguém querendo se promover ou um maníaco tentando atraí-lo para uma cilada mortal, mas na realidade só sou alguém que odeio a infelicidade.

Detesto pessoas tímidas e tristes, homens sérios e mulheres reprimidas. Tudo isso me lembra dum tempo que rir era um pecado. Ser feliz era como ser egoísta enquanto todos à minha volta choravam e remoíam suas dores. No entanto eu aprendi que sorrir é como uma luz que nasce, não sei de onde, e se expande e toma mais espaço, incendiando os corações mais próximos.

Então, não me intérprete mal. Eu só o quero feliz.

Vou imitar vozes irritantes, falar bobagens, fazer caretas e ate mesmo te fazer cócegas, mas nunca, em hipótese alguma, vou desistir de um sorriso seu.

A Estranha Vida de Timothy Green (2012)

Timothy-Green-Cartaz1-550x785

Uma vez disseram-me que acreditar em tudo era tolice, uma ilusão. Uma vez eu disse, “não acreditar em tudo no que queremos acreditar é a verdadeira ilusão”.

 

Precisamos acreditar.

 

Quando queremos algo de todo o coração, quando precisamos nos apoiar em algo para não cair, quando nada puder ser explicado. Simplesmente acredite. Por que tudo pode acontecer e nada é realmente impossível.

 

O filme “A Estranha Vida de Timothy Green” Vai te mostrar as inúmeras formas de encontrar esse sentimento roubado cada dia mais de nossas vidas. À medida que crescemos e somos minados de nossas crenças infantis. Transformados em pessoas secas e sem vida.

 

Pensei muito sobre assistir esse filme e depois posta-lo aqui no blog, depois de tantos filmes incrivelmente cultos e críticos. Uma obra infantil sem muitas pretensões para o Oscar não seria algo muito atrativo para qualquer leitor culto e cético. Mas afinal de contas, ser feliz é alguma perda de tempo? Sentar-se junto a uma criança e ouvi-la com sinceridade é algo idiota? Assistir um filme que conta a historia de um garotinho de folhas nos calcanhares que nasceu na horta dos pais pelo simples desejo de ter um filho é ter certeza de que não passa de pura fantasia? Presumo que não.

 

Por isso, acho que valeu a pena escrever algo e dividir essa boa escolha, somente porque eu acreditei.

Sinopse

Um casal sem filhos enterra uma caixa em seu quintal, contendo todos os seus sonhos e desejos para uma criança. Logo, nasce Timothy Green, que, no entando, é muito mais do que parece, trazendo com ele uma magia que vai mudar a maneira de todos sentirem o amor. Estrelado por Jennifer Garner, Joel Edgerton e Cameron C.J. Adams. A direção é de Peter Hedges.