Arquivo da tag: franquia

The Walking Dead, a Ascensão do Governador

110601528SZ

Para os fãs de historias estilo “Terror Survivor”, uma boa dica para gastar o seu tempo – cada vez mais curto nesses últimos dias de existência humana – é a mais nova empreitada da franquia The Walking Dead: o livro, “TWD, a ascensão do governador”.

Para os mais fanáticos espectadores de TWD e conhecedores da historia ate aqui, esse livro é muito esperado, contando a historia de um dos mais aguardados personagens e o segundo mais enigmático da ficção. Mas para você, simplório humano que não perde suas noites de sono baixando os episódios como um bom zumbi, ai vai a sinopse:

“A historia se passa num espaço de tempo diferente do contando na serie, sem nenhuma influencia direta dos personagens da TV, o livro revela a verdadeira história de Philip Blake, Penny (a filha de Blake, já uma Walker na serie) e seu irmão Brian Blake. Juntos eles tentam encontrar a fuga, cada vez mais estreita para fora desse pesadelo apocalíptico, enfrentando mortos, vivos e os próprios problemas.”

The-Walking-Dead-the-walking-dead-32297713-1600-1200

Admito que algum tempo um romance não me chamava a atenção desde “Anjos e Demônios”, mas TWD mostrou-se um bom livro, bem eletrizante e carregado de aventuras. Pouco dramático ate o final do ultimo capitulo, mas um excelente livro para os aficionados por historia de zumbi e sobrevivência. E para quem espera o recomeço da serie da TV em fevereiro de 2013, muitas respostas são respondidas e a curiosidade piora ao saber a verdade sobre o governador da sobrevivente cidade de woodbury e seus verdadeiros segredos. Enfim, só nós resta esperar o próximo apocalipse zumbi e ficar especulando o final da terceira temporada de The Walking Dead.

Looper: Assassinos do Futuro (2012)

Que Bruce Willis gosta de ficar dando voltas entre o passado e o futuro mais que o DeLorean, isso não é novidade, mas o cara manda bem quando se trata de filmes futuristas.

Na postagem do filme “O Vingador do Futuro (Total Recall)” eu havia comentado que a melhor opção para o filme seria Willis. Continuo afirmando com total veemência.

No filme “Looper” a historia é aquela: o cara volta para o passado e tem de confrontar o seu outro “eu” enquanto busca um determinado objetivo, ou finalizar esse objetivo. Bem, mas Bruce Willis consegue tornar mais um enredo batido do cinema em algo novo e imprevisível.

Primeiramente, Joseph Gordon-Levitt foi uma excelente escolha, diferente dos produtores de “MIB 3: Back in Time” ao escolher Josh Brolin para viver a versão mais nova de Tommy Lee Jones, na procura da versão jovem de Bruce Willis. Porque diferente de Brolin, Levitt não teve de forçar muito na atuação, foi bem espontânea. (observação: “MIB 3” foi muito fiel aos outros filmes da franquia na minha opinião e gostei muito, só pra deixar a opinião).

Sem muitos efeitos especiais, o filme não foge da ideia do futuro e nem precisa apelar para a tecnologia excessiva. A historia se foca muito no enredo, na essência.

Um homem protegendo o seu futuro, outro lutando pelo seu passado e uma mãe disposta a defender com tudo seu filho. Você fica parado pensando no que pode acontecer.

Juro que em muitas cenas fiquei oscilando em o Joe jovem e o velho. Por que é difícil tomar partido da mesma pessoa de épocas e princípios diferentes. Ainda mais que não da pra saber quem é o “cara bom” e o “cara mal”, apesar de Willis correr o filme todo atrás de garotinhos de dez anos para mata-los.

Bem, decida você! Bom filme e não se esqueça de ir ao banheiro antes do filme. Acho que você não ira pausa-lo em momento nenhum.

Sinopse

Kansas City, 2044. Viagens no tempo são uma realidade, mas estão apenas disponíveis no mercado negro. Seu principal cliente é a máfia, que costuma enviar ao passado pessoas que deseja que sejam eliminadas, já que é bastante complicado se livrar dos corpos no futuro. Os responsáveis por estes assassinatos são os loopers, organização a qual Joe (Joseph Gordon-Levitt) faz parte. Um dia, ao realizar mais um serviço corriqueiro, ele descobre que seu alvo é a versão mais velha de si mesmo (Bruce Willis), trazida em viagem no tempo por ter se tornado uma séria ameaça à máfia no futuro.