Arquivo da tag: o medo

Tem Horas?

article-0-1659C3DD000005DC-276_964x955

– Com licença, tem horas? – Disse ele, tocando-lhe gentilmente o ombro esquerdo.

Sobressaltada, tirou os fones de ouvido. – Desculpe?!

– Eu perguntei se você tem horas?

Tirou o telefone do bolso da calça.

– Dez para as três.

– Obrigado.

– Por nada. – Aproveitou e deu uma olhada rápida nas atualizações do face e o guardou novamente no bolso do jeans. – Por que? Continuar lendo Tem Horas?

Anúncios

Uma Lição De Amor (2001)

i am sam

O que é preciso para amar?

Eu juro que pensei em muitas coisas inteligentes para responder essa pergunta. Mas às vezes nem sempre são as respostas mais especiais as mais certas, ou as corretas as mais deslumbrantes. O que precisamos para amar é uma grande pergunta de um simples pensamento. Esse é um segredo que nos esquecemos com o passar do tempo, como nós lembrar do amor. Nem sei a ultima vez que pensei sobre o assunto. Acho que foi há muito tempo atrás. Antes de conhecer a mim mesmo e antes de me tornar uma pessoa retardada. Sim, realmente acho que todos os adultos são estúpidos. E que de vez em quando fujo da minha própria estupidez e me mistura no meio das pessoas realmente “espertas”. Costumamos chama-las de “especiais” porque são diferentes de nós, mas não sabemos o porquê. Isso tanto faz, porque elas sabem.

A palavra especial tem muitos significados, mas a minha preferida é a expressão “única”. Pessoas especiais são especiais realmente. Sabem, a sua forma, ser únicas por toda vida.

Afinal, quem não conhece alguém assim?

Porque elas emanam amor, mesmo quando sofrem, porque disso que elas são feitas. Amor. Porque gente especial gosta de ir ao parque, gosta de ser feliz, não inventa tristezas e obrigações. Tentam, erram e esta tudo bem. Não existe algo para remoer em seus corações. Não conhecem o medo, a maldade ou a ingratidão. Não precisam disso pra viver. E somente os retardados, como eu, preferem ser sempre importantes para os outros antes de serem para si próprio. E esse diferencial as torna diferentes.

Essa é a verdade. Para amar é preciso ser diferente, ser especial e único. As vezes ter dificuldade em se expressar, caminhar ou viver. Mas sempre ser feliz. Pensamos que não, mas o amor da conta de tudo sozinho, e o resto é idiotice, coisa da nossa cabeça deficiente e retardada que não ouve o coração quando ele quer falar. No final, acho que é “Uma Lição De Amor” aprender a ser como eles.

Sinopse

Sam Dawson (Sean Penn) é um homem com deficiência mental que cria sua filha Lucy (Dakota Fanning) com uma grande ajuda de seus amigos. Porém, assim que faz 7 anos Lucy começa a ultrapassar intelectualmente seu pai, e esta situação chama a atenção de uma assistente social que quer Lucy internada em um orfanato. A partir de então Sam enfrenta um caso virtualmente impossível de ser vencido por ele, contando para isso com a ajuda da advogada Rita Harrison (Michelle Pfeiffer), que aceita o caso como um desafio com seus colegas de profissão.

Morto!

DSCF0496

“Eu vou morrer”, era a única coisa que eu conseguia pensar naquele instante.

Todos estavam sentados e aturdidos por causa daquela cena. O tempo ficara imóvel e ate mesmo o som irritante das suplicas daquele idiota estendido no chão, suplicando pela própria vida parecia ter perdido seu sentido. Eu só podia ouvir o meu coração batendo acelerado enquanto o cano da arma se estendia do braço firmemente em direção a minha testa. Sim, isso aconteceu a muito tempo atrás, mas eu ainda me lembro bem de ter morrido aquele dia.

De uma forma resumida, houve um roubo na radio onde eu trabalhei no Rio Grande do Sul. Esse fato aconteceu durante o dia, quando muitas pessoas circulavam pela radio, poderia ser qualquer um. Mas o diretor teria de culpar alguém, então porque não garoto que havia pedido demissão aquele dia?

Ele sempre guardara uma pistola e eu sabia. Nunca imaginei que levaria a serio aquilo, usar aquela arma. No entanto me enganei e ela estava apontada para mim. Todos os funcionários da radio estava desesperados, diziam não saber de dinheiro algum, mas ele não se importava, desejava descobrir quem o havia roubado e eu era o principal suspeito.

Eu não havia pegado o dinheiro e desconfiava firmemente que ele nunca existira, era somente um truque frustrado para me incriminar e se vingar por deixa-lo na mão logo na hora que mais precisava de mim.

Somente uma coisa passava pela minha cabeça. O medo, o terror de morrer. Eu entrei em transe e não consigo me lembrar do que aconteceu entre aqueles minutos a não ser a sensação de estar morrendo aos poucos.

Ele abaixou a arma. Desistira daquele interrogatório e todos foram embora, nunca mais o vi, muito menos a pistola, mesmo assim, até hoje sinto ter morrido aquele dia e ter voltado a vida de uma forma diferente. Naquele dia, descobrir que todos estávamos mortos e vivos ao mesmo tempo, por isso, cada segundo é único. Nossa razão mortal existe e vivemos esquecendo isso em troca de uma falsa ilusão de imortalidade. Precisei da culatra fria encostada na minha cabeça para perceber isso. Tenho uma arma apontada para cabeça todos os dias, a qualquer momento ela pode disparar e nada é inevitável. Por isso aproveito a vida intensamente, amo intensamente e existo intensamente.

Lembre-se disso quando sentir um sonho morrendo. É o gatilho sendo apertado cada vez mais rapido sem você perceber e quando todos os sonhos sumirem, você também ira desaparecer. Um tiro certeiro e sem volta.

Indomável Sonhadora (2012)

 

Qual a diferença do tolo e o corajoso? O medo.

Muitos se julgam corajosos por não temerem mal algum, mas  a verdadeira bravura mora nos corações mais temerosos. Somente quem conhece seus medos e assim mesmo luta contra eles é o verdadeiro coração valente.

E quem melhor para retratar essa sensação do que uma criança.

“Indomável Sonhadora” mostra o mundo caótico e fantástico através de Hushpuppy, uma menina de apenas 6 anos lidando com temores adultos. E por mais terrível que seja, o filme não perde sua doçura. Ensina-nos a lidar com o medo, nunca desistir e aceitar quem amamos da forma, muitas vezes rude, como são.

Assista e diga o que acha. Tenho certeza que o final vai tirar o seu coração pela boca.

Sinopse

Hushpuppy (Quvenzhané Wallis) é uma menina de apenas 6 anos de idade que vive em uma comunidade miserável isolada às margens de um rio. Ela está correndo o risco de ficar órfã, pois seu pai (Dwight Henry) está muito doente. Ele, por sua vez, se recusa a procurar ajuda médica. Um dia, pai e filha precisam lidar com as consequências trazidas por uma forte tempestade, que inunda toda a comunidade. Vivendo em um barco, eles encontram alguns amigos que os ajudam. Entretanto, o pai vê como única saída explodir a barragem de uma represa próxima, o que faria com que a água baixasse rapidamente e a situação voltasse a ser como era antes.

360 (2012)

“Se houver uma bifurcação na estrada, pegue-a!”.

Não é assim que o destino funciona? Ou melhor, o destino não funciona de maneira previsível por que não existe somente uma possibilidade em nosso caminho? Há muitos atalhos por onde podemos nos perder, rotas alternativas e passagem que não levam a lugar algum. Porem se o destino fosse uma estrada sem bifurcações, encruzilhadas, qual seria o sentido da vida?

Então não hesite. Seja qual for o destino escolhido, siga-o. Às vezes o nosso desvio pode ser uma pessoa, uma crença, o medo, a raiva ou o desejo. No entanto, para saber ate onde podemos ir, precisamos desviar um pouco na vida, seja pelo bem ou por nosso mal.

A vida é uma estrada de começo, meio e fim. Mas o meio pode ser um começo ou um fim, basta escolher um caminho.

Sinopse

Inspirado em “La Ronde”, clássica peça de Arthur Schnitzler, 360 é uma reunião de histórias dinâmicas e modernas, passadas em diversas partes do mundo. Laura (Maria Flor) é uma mulher que deixou a vida na terra natal para tentar a sorte em Londres ao lado do namorado Rui (Juliano Cazarré). Ao descobrir que o parceiro está tendo um caso com Rose (Rachel Weisz), ela decide voltar para o Brasil. Na volta pra casa, ela conhece um simpático senhor (Anthony Hopkins) e Tyler (Ben Foster), duas pessoas em momentos difíceis em suas vidas. Num outro lado da história, Mirka (Lucia Siposová) é uma jovem tcheca que começa a trabalhar como prostituta para juntar dinheiro. Ao mesmo tempo, lida com a desaprovação da irmã Anna (Gabriela Marcinkova). O primeiro cliente de Mirka é Michael (Jude Law), que por sua vez é casado com Rose.

Dirigido por Fernando Meirelles, filme começa em Viena e passa por Paris, Londres, Rio de Janeiro, Bratislava, Denver e Phoenix.