Arquivo da tag: pela rua

Era Uma Vez…

18305_1213913244

Enquanto olhava para o chão procurando algo que pudesse me dar coragem, minhas mãos seguravam as dele, suando friamente, prendendo-as fortemente com se não quisesse se perder daquela pessoa. Mesmo assim, eu precisava disser-lhe o que era inevitável.

– Matheus, eu tenho de ir! – seus olhos pareciam mais profundos do que sempre e eu me perdia dentro daquela expressão impossível de se compreender, isso era torturante. – Eu tenho de te disser adeus agora.

Nunca mais o vi desde aquele dia quando em silencio ele se levantou e olhou pela ultima vez da porta de entrada e fechara-a logo atrás de si. Minha ultima recordação era o som do motor do carro ligando e sumindo gradativamente pela rua ate deixar-me imerso na silenciosa solidão.

Nesse dia eu entendi que não podemos dar o amor que algumas pessoas precisam.

***

Disser eu te amo. Tão fácil. Tão simples. Essa é a razão de nossas vidas?

Mas depois de disser “adeus” a única pessoa que me amara verdadeiramente até aquele dia, disser-lhe para viver sua vida e acreditar que um dia um novo amor iria lhe encher de calor e satisfação, foi a mais dura forma de entender que, por mais que tentemos, o nosso amor nunca será o suficiente para dar tudo a alguém.

Mas sempre que penso nesse dia tão distante nas muitas vidas que vivi, lembro-me como gostava de contar-me inúmeros contos e um dia me contou uma antiga historia, um a linda historinha.

“Era uma vez, um jovem rapaz, um aprendiz curioso que tentava entender os segredos de seu mestre. Um dia, esse jovem aprendiz perguntara a seu mestre:

– Mestre, diga-me, o que é mais importante: Amar ou ser amado?

O bom senhor manteve-se imóvel, escrevendo seus ensinamentos em velhos papiros e dera a única resposta que conhecia em forma de outra indagação:

– Diga-me você, o que é mais importante para um pássaro: A asa esquerda ou a direita?

O jovem envergonhado por tão tola questão, recolheu-se a seus pensamentos e não incomodou mais seu sábio mestre”.

***

Amar ou ser amado, o que é mais importante?

Eu entendi por entre suas metáforas e demonstrações, seu sorriso e cuidados, algo que me negava entender por não sentir coragem perde-lo. “Amo muito você, mas só o suficiente, não posso oferecer-lhe todo o meu amor, então não posso mante-lo preso a mim. Mas sei que um dia você encontrara o sol que brilhara na mesma intensidade do seu coração e você se sentira completo. Me desculpe não ser o seu grande amor, mas te amei a minha maneira”. Essas palavras se prenderam em minha garganta e a única coisa que pude disser foi “adeus”.

***

Antes de disser que ama alguém, pense bem se você é tão forte quanta pensa, para poder voar e seguir sem desistir. Pense bem nisso e nunca se arrependera.

Anúncios

Conte Comigo, Amigo!

amigos

– Você esta bem? – Cinthia parecia cansada e com certa dificuldade enquanto caminhávamos pelas ruas desertas de São Leopoldo, depois de uma longa noite recheada de desventuras e curtição. O sol já despontava no plano horizonte do Vale dos Sinos e estávamos esgotados a caminho do metro.

Ela parou por um segundo e respirou profundamente, existia um ar pesaroso em seu rosto, eu pude sentir.

– Bah, meus pés estão me matando! – Disse ela, encostando-se numa parede. – Que vontade de tirar esse salto maldito!

Passamos a noite inteira em pé, dançando e vibrando junto com outro amigos, e eu também estava em frangalhos apesar de estar bem confortável com meu tênis All Star.

– que tal você tirar eles? – sugeri.

– Não, não vou sair por ai como uma louca descalça pela rua!

Fiquei olhando ela por alguns segundo e então sorri, e antes que ela pudesse entender o motivo do meu sorriso, eu já estava descalço sentindo o chão frio da manhã massageando meus tão cansados pés.

– E agora, você vai me deixar bancar um doido sozinho? – ela não teve duvidas dessa ação típica minha, agraciou-me com um dos seus lindos sorrisos. Juntou-se a mim e caminhamos pela manha, com os pés sobre o chão como bons e verdadeiros amigos.

***

“Nunca abandone um amigo”.

Esse pensamento veio-me de repente. Eu estava sozinho somente com minhas melhores memórias e essa saltara como uma inconveniente lembrança que sempre me fizera sorrir todas as vezes que a saudade apertara dentro do peito.

Todos os dias procuro descrever para mim mesmo o motivo de ama-los tanto. Por tê-los por perto, porque escolher cada uma daquelas pessoas para serem as peças de cada momento inesquecível da minha vida.

Às vezes me perco observando- sorrateiramente- suas confusões, amores e tristezas. Vigio-os frequentemente e não posso deixa-los se perderem, tenho o dever de ajuda-los porque se tornaram cativos e cativadores do meu destino. E enquanto forem meus amigos, serão partes soltas minhas caminhando pelo mundo e muito me farão falta até o dia do nosso reencontro. Ficarei pensando por onde andam, se amores viveram e quando voltarei vê-los. E quando pelas ruas os encontrar, não irei conter um sorriso, por que esse é uns dos sinais secretos inventados pelos nossos corações. E mesmo que eu me aborreça às vezes e fique parecendo um velho chato e rabugento, sei que será praticamente impossível segurar dentro de mim a vontade de correr e me juntar a todos você e viver a eternidade em um segundo de nossas vidas.

Obrigado.