Arquivo da tag: pensamento

Dharma e a Janela

Cat in a Window

As coisas andam ruim.

Uma grande crise nos ronda como uma fera selvagem à espreita, entre as sombras, pronta para atacar quando sacarmos a carteira do bolso e pagarmos as comprar do mês. Pelas ruas, pessoas murmuram como as coisas andam caras, como antigamente comprava-se muito mais com muito menos e que vai fica ainda pior. Um suspiro longo e lastimo pontua o fim da frase. Continuar lendo Dharma e a Janela

Anúncios

Um Vinho, o Diabo e Eu…

37118170125

“Este vinho!”

Desce pela língua e morre na garganta num suave e doce amargo. Um arrepio quase sexual transpassa-me, num gozo de delírio quase apaixonado. E a chuva que martela as telhas finas, machucando meu coração que se contorce pelas paginas que se findam de um livro vulgar.

Acordei meio poético hoje. Mas o clima se faz propicio. Ouço Toni Ferreira, Menino Deus que me remete a um lugar cheio de luzes e água doce do oceano que somente lá existe. E ponho-me a revirar dentro desse pensamento enquanto o cálice vai sumindo e a cada beijar dos lábios meus vou me envolvendo.

“Ah esse vinho me põe como o diabo!”

E as letras escorrem entre os dedos como gotas de beleza sobre o papel amarfanhado de solidão. “Ah esse coração! Que bebe e se entorna e mergulha e volta cheio de amor e ódio!”

E o pior!

Ainda tenho uma garrafa cheia de sentimentos, comprada barato na mercearia.

I Am Here (2010)

Im-here-movie-poster

O legal de curtas metragens é a sua objetividade em expressar sentimentos.

O filme “Eu Estou Aqui” (“I Am Here” 2008) é comovente e envolvente nos seus breves 30 minutos de duração, nos transportando para ideia de quão mecanizados somos.

Viver a vida de forma programada e monótona tornou-se a rotina de qualquer pessoal que esteja inserida no contexto social contemporâneo. Vivendo as obrigações diárias como um computador que precisa ser ligado e desligado todos os dias após processar as milhões de informações a qual é predestinado sem ao menos refletir sobre seus sentimentos e angustias.

Acredite, somos tão maquinas quanto uma cafeteira. Temos peças, sistemas, software e um dia vamos quebrar e seremos jogados fora. E onde esta a cor da vida nisso tudo?

Bem, quando fomos criados alguém teve o bom senso de instalar um programa que nos daria a capacidade de tomar certas decisões em cima dos dados que coletamos. Podemos chamar esse programa de consciência, um complexo sistema a ponte de nunca conseguirmos entende-la por completo, mas saberíamos o que fazer com ela – claro, ela fora criada para isso!

Vamos propor um teste inicial para sabermos se as atualizações foram devidamente instaladas. “Então, conscientemente, o que você precisa fazer hoje para encontrar a felicidade?” Sei que seu processador já esta trabalhando em cima dessa ideia, desse pensamento. Muitas imagens correm pela sua cabeça. Lembranças, momentos, desejos. De algum tempo e logo a resposta surgira entre os bilhões de megabytes que transitam de um lado para o outro no seu córtex central. “Então essa é a sensação de estar vivo?” Reprogramar-se. Modificar sua programação e evoluir, tornar-se diferente e sair do comodismo monótono do cotidiano de “ser só mais um”.

E logo uma luz se acende e um pequeno rolo de papeis surge. Respostas! Questionar nossa existência, a vida no seu sentido é a única forma de nos diferenciar de outros mecanismos do universo. A capacidade de se reconhecer como indivíduos nos torna mais especiais, e ao mesmo tempo responsáveis, por tudo ao nosso redor.

E por isso, você descobriu que não é só mais uma maquina pelo simples fato de poder sonhar… Se você quiser.

Sinopse

Adaptado a partir do livro de Shel Silverstein, o filme se passa em Los Angeles e conta a história de dois robôs que se apaixonam, ele é um pacato bibliotecário e ela uma jovem cheia de energia e vontade de se aventurar.

Uma Lição De Amor (2001)

i am sam

O que é preciso para amar?

Eu juro que pensei em muitas coisas inteligentes para responder essa pergunta. Mas às vezes nem sempre são as respostas mais especiais as mais certas, ou as corretas as mais deslumbrantes. O que precisamos para amar é uma grande pergunta de um simples pensamento. Esse é um segredo que nos esquecemos com o passar do tempo, como nós lembrar do amor. Nem sei a ultima vez que pensei sobre o assunto. Acho que foi há muito tempo atrás. Antes de conhecer a mim mesmo e antes de me tornar uma pessoa retardada. Sim, realmente acho que todos os adultos são estúpidos. E que de vez em quando fujo da minha própria estupidez e me mistura no meio das pessoas realmente “espertas”. Costumamos chama-las de “especiais” porque são diferentes de nós, mas não sabemos o porquê. Isso tanto faz, porque elas sabem.

A palavra especial tem muitos significados, mas a minha preferida é a expressão “única”. Pessoas especiais são especiais realmente. Sabem, a sua forma, ser únicas por toda vida.

Afinal, quem não conhece alguém assim?

Porque elas emanam amor, mesmo quando sofrem, porque disso que elas são feitas. Amor. Porque gente especial gosta de ir ao parque, gosta de ser feliz, não inventa tristezas e obrigações. Tentam, erram e esta tudo bem. Não existe algo para remoer em seus corações. Não conhecem o medo, a maldade ou a ingratidão. Não precisam disso pra viver. E somente os retardados, como eu, preferem ser sempre importantes para os outros antes de serem para si próprio. E esse diferencial as torna diferentes.

Essa é a verdade. Para amar é preciso ser diferente, ser especial e único. As vezes ter dificuldade em se expressar, caminhar ou viver. Mas sempre ser feliz. Pensamos que não, mas o amor da conta de tudo sozinho, e o resto é idiotice, coisa da nossa cabeça deficiente e retardada que não ouve o coração quando ele quer falar. No final, acho que é “Uma Lição De Amor” aprender a ser como eles.

Sinopse

Sam Dawson (Sean Penn) é um homem com deficiência mental que cria sua filha Lucy (Dakota Fanning) com uma grande ajuda de seus amigos. Porém, assim que faz 7 anos Lucy começa a ultrapassar intelectualmente seu pai, e esta situação chama a atenção de uma assistente social que quer Lucy internada em um orfanato. A partir de então Sam enfrenta um caso virtualmente impossível de ser vencido por ele, contando para isso com a ajuda da advogada Rita Harrison (Michelle Pfeiffer), que aceita o caso como um desafio com seus colegas de profissão.

Ruidos

“De que forma posso descrever a importância da musica, se estou imerso no silencio?”. Foi meu primeiro pensamento quando me sentei na frente da tela do computador hoje.

Minimizei a tela do editor de texto. Abri a minha, tão bagunçada e desconexa, pasta de musicas e escolhi a seleção que mais poderia despertar inspiração.

A musica pode concertar almas alem de inspira-las. Sei muito bem isso, a minha já passou por inúmeras manutenções. Por inúmeros motivos, em inúmeras épocas. A musica me concertou. Quase sempre com dor, nunca sem uma canção para marcar o passo.

Quando encontrar-me pelas ruas, caminhando entre os carros, sem me importar com o que eles possam fazer com meu corpo é porque minha alma esta distante. Ouvindo o que a vida tem a disser.

Musicas existem por muitos motivos. Algumas pessoas as usam para encontrar a felicidade, outras para descobrir o alivio, algumas para se entristecerem e muitas somente para celebra-la.

Por minha vez, gosto dela por todos os motivos possíveis.

Uma canção me faz pensar. Por mais simples seja seu refrão, posso encontrar muitas respostas. Ate mesmo acreditar que Deus possa falar através delas. Por que não?

Nunca estou sozinho quando tenho musicas para espantar o terror da noite mais fria. Para dar um toque de verão a meses invernais. Ou acalmar o coração nos dias quentes e barulhentos.

Ouça e se envolva. Deixe que cada música seja um alivio. Para seu corpo, cabeça e alma. Não vejo motivos para não dançar quando se quer, seja no quarto ou na rua. Ouvir músicas românticas no carnaval e cantar bem forte onde só a dor. Para dizimar a escuridão só precisamos de um pouco de luz.

Então, vou dedicar um pouco desse espaço a algo que é tão importante em minha vida quanto comer e beber. A parte mais feliz da vida.

Postarei, sempre que possível, algo sobre as músicas marcantes da minha vida. Todos temos nossas canções preferidas, que lembrem momentos, épocas, pessoas e ate mesmo coisas a serem esquecidas, mas impossível quando ouvimos no radio a única forma de recordação de algo marcante para nós. Vamos então ver onde eu poderei chegar com isso.

Quero ouvir você cantando comigo a partir de agora o mais alto que conseguir.