Todos os posts de Cristiano L. Batista

Cala a Boca e Me Come!

 

Não gosta de mim? Ótimo, este é o melhor sinal de que logo seremos ótimos amigos.

Estou de certo modo acostumado com essa primeira impressão negativa sobre mim. Sempre ironizo o fato de que a maior parte das pessoas costumam detestar-me ou ter algum tipo de aversão antes de me amar, ou vice-versa. É algo tão obvio do nosso comportamento que nem ao menos me preocupo em provar o contrário. Digo nosso por que seria de um mau-caratismo tão grande me excluir dessa equação uma vez que preciso me fiscalizar corriqueiramente dentro dessa visão romântica do julgamento alheio.

Continuar lendo Cala a Boca e Me Come!

Anúncios

Acumulando Anos Novos

Da beira da piscina, a luz de uma vela, fraca e bruxuleante eu observava, quase como em câmera lenta, a confusão de pessoas se misturar num borrão branco que se deslocava de um lado para o outro, como uma nuvem.

Todos se abraçavam e desejavam um ano novo repleto de felicidade e realizações enquanto que eu ainda me pegava pensando nas coisas antigas que ainda não haviam se resolvido e entravam de mãos dadas comigo naquele ano que começava. Continuar lendo Acumulando Anos Novos

Sobre Como Amar

Quanto mais aprendo, menos sei sobre mim.

Talvez essa seja a única certeza que obtive nos últimos anos. Tal qual Sócrates supôs ao dizer: tudo sei que nada sei. O conhecimento só nos prova que estamos muito longe de formar ideias imutáveis sobre qualquer assunto, seja ele qual for, e que aquele que se atreve a dizer que conhece a essência de algum saber é tolo e assim morrera.

Dito isso, gostaria de começar dizendo que andei meditando sobre muitos assuntos, que espero dividir aqui com aqueles que se dispuserem a lê-lo, mas um deles em especial, hora ou outra citado em algum texto meu, o amor é um dos meus temas preferidos. Se há algo que me intriga e me move numa procura insaciável este é o amor. Continuar lendo Sobre Como Amar

Onde encontrei Deus

A verdade? Eu nunca acreditei na existência de Deus – pelo menos não nos modos tradicionais de crer. Um bom senhor sentado num trono de mármore, rodeado de arcanjos e querubins, flutuando em nuvens tão brancas quanto o mais puro algodão, num êxtase eterno. Isto estava para mim como o coelho da pascoa, Papai Noel ou o Mickey Mouse. Pura fantasia insustentável. Continuar lendo Onde encontrei Deus

O Amor Genuíno

Imagine uma mãe.

Seu filho está grande e pretende mudar-se para outro pais, muito distante. Ela, que a vida toda teve-o por perto, até o presente momento ao alcance dos seus cuidados, sente-se profundamente triste pela separação mas sabe que não pode impedi-lo de fazer aquilo que os filhos foram feitos para fazer: ir embora.

A questão é, ela o deixara de amar? Não, isto não vai acontecer. Apesar da saudade, dos dias sem um telefonema e dos anos que se passaram até que ele volte e visite-a, talvez por algumas semanas, para depois desaparecer por outros logos anos. Mesmo assim, ela o amara. Você se pergunta, “que tipo de amor é esse?”

Este é o amor genuíno. Continuar lendo O Amor Genuíno